As cores de setembro nas campanhas de prevenção, conscientização e cuidados com a saúde

Conscientizar-se pela informação é o primeiro passo para prevenir doenças. E no movimento colorido das campanhas mensais para promover a conscientização e a mobilização coletiva para os cuidados com a saúde, setembro é mês de destaque: são 5 cores que marcam 10 alertas para manter os cuidados com a saúde

 

No amarelo, a prevenção ao suicídio
Com o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio marcado em 10 de setembro, o mês é todo dedicado ao tema no Brasil, com campanha nacional realizada desde 2014 e em que participam entidades médicas, associações de classe, instituições públicas e privadas, escolas, organismos sociais e movimentos populares.

O propósito de todos os envolvidos é único: informação, orientação e atenção para a diminuição do estigma e, consequentemente, a prevenção ao suicídio. Causa de morte (óbitos por lesões autoprovocadas intencionalmente, termo de referência na Classificação Internacional de Doenças) de cerca de 12 mil brasileiros todos os anos e mais de 1 milhão de pessoas no mundo. Uma triste realidade, que registra cada vez mais casos, principalmente entre os jovens. Sendo que 96,8% dos casos de suicídio (de forma global) estão relacionados a transtornos mentais: em primeiro lugar está a depressão, seguido do transtorno bipolar e do abuso de substâncias.

Neste ano, Agir Salva Vidas foi o slogan da Campanha Setembro Amarelo 2021, adotado pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) em parceria com o Conselho Federal de Medicina e demais associações e entidades de especialidades médicas de todo o país. O movimento nacional de conscientização das entidades médicas objetiva, principalmente, contribuir com informações sobre a saúde mental, para que a comunidade de modo geral – família, escola, amigos, colegas de trabalhos – esteja atenta aos fatores de risco e sinais de alerta em relação ao suicídio. Para isso, lançou também a cartilha “Suicídio: informando para prevenir”, que pode ser acessada AQUI 

Rede de apoio – Um dos centros de apoio emocional mais atuantes no Brasil é o Centro de Valorização da Vida (CVV). Nele existe o serviço de escuta 24 horas. Basta ligar 188 e solicitar atendimento, ou buscar apoio via internet – site e chat. No Paraná, além do CVV, o SUS oferece atendimentos e tratamentos em serviços da Rede de Atenção Psicossocial em diversas cidades do Estado. Além disso, muitas instituições de ensino superior, como a PUC, UEL e UFPR, também oferecem atendimento especializado ao público, de forma gratuita ou com preços diferenciados para pessoas que comprovem baixa renda.
A rede de prevenção tem mais do que razão para existir e ser fortalecida, já que o Paraná mantém números recordes no país quando a causa da morte é suicídio: em 2020, foram 900 casos; em 2019-944; em 2018-915; em 2017-774; e em 2016-760 casos, de acordo com dados da Sesa.

 

No dourado, o alerta para o
diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil
O Setembro Dourado é marcado pela campanha de conscientização sobre o câncer infantojuvenil, mês que reforça a importância do acompanhamento pediátrico de rotina e o diagnóstico precoce da doença. Atualmente no Brasil, o câncer é a primeira causa de morte por doença em crianças e adolescentes de 1 a 19 anos.

De acordo com dados de 2020 do Inca (Instituto Nacional do Câncer), esta faixa etária representa de 1% a 3% de todos os casos de câncer diagnosticados no país, e tem em média mais de 12 mil novos casos por ano. Sendo os cânceres da infância mais acometidos nos primeiros cinco anos de vida, como as leucemias agudas, responsáveis por um quarto de todos os cânceres infantojuvenis detectados, e os linfomas e os tumores do encéfalo (crânio). Segundo o Inca, outras neoplasias frequentes são os neuroblastomas e tumores renais, e o instituto registra ainda que em crianças um pouco mais velhas, acima de dez anos, é preciso atenção de pais e professores também aos sintomas como as dores ósseas.,

 

No verde, campanhas de prevenção e de incentivo,
e duas datas comemorativas

A cor verde deste período está associada a duas campanhas nacionais, uma de prevenção e outra de incentivo, e a uma importante data de manifestação. Setembro Verde é portanto mês de conscientizar para prevenir o câncer de intestino, terceiro tumor mais frequente no Brasil, ficando atrás apenas do câncer de próstata e o de mama. Também conhecido como câncer de cólon e reto ou colorretal, é tratável e, na maioria dos casos, curável, ao ser detectado precocemente, quando ainda não se espalhou para outros órgãos. Por isso, a campanha tem o objetivo de informar a população sobre fatores de risco e a importância da prevenção e do diagnóstico precoce para o rastreamento e tratamento da doença.

Neste mês em o Dia Nacional da Doação de Órgãos é comemorado em 27 de setembro, o tema também ganha campanha nacional para chamar a atenção sobre a importância de ser um doador e falar do impacto desse ato que transforma e salva vidas. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil é o segundo maior transplantador do mundo, sendo referência mundial nessa área. E entre os estados brasileiros, o Paraná é líder nacional.

Números da liderança paranaense: 33,0 doações por milhão de população (pmp), sendo que a média do Brasil é de 13,7 pmp. O Estado fechou o ano de 2020 com 41,6 pmp e garantiu a liderança desde então. No último ano, o Estado teve 1.161 notificações de potenciais doadores e 475 doações efetivas, as quais corresponderam a 698 transplantes de órgãos sólidos realizados no Estado – 353 órgãos e 365 córneas. O Paraná também está entre os três estados que mais realizaram transplantes hepáticos (fígado) com 15,8 pmp, enquanto a média brasileira é de 8,7 pmp. Já com relação a transplantes de pâncreas, o Paraná está entre os cinco estados que realizaram o procedimento.

E na coloração verde, que simboliza a esperança, também o registro de outra importante data: o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, celebrado em 21 de setembro.

Data oficialmente criada pela Lei nº 11.133/2005 tem o objetivo de conscientizar sobre a importância do desenvolvimento de meios de inclusão das pessoas com deficiência na sociedade. Iniciativa do Movimento pelos Direitos das Pessoas Deficientes (MDPD), grupo que debate propostas de transformações sociais em prol das pessoas com deficiência desde 1979, o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência já era celebrado no país em 21 de setembro, mas de forma extraoficial, desde 1982.
A data também debate dois outros pontos centrais, responsáveis por dificultar a vida dos PcDs: o preconceito e a inacessibilidade pública. E o dia 21 de setembro (que marca o início da primavera no Hemisfério Sul) faz referência metafórica à estação: renascimento e renovação, assim como acontece com as flores neste período do ano.

A motivação para lutar pela construção de uma sociedade inclusiva, onde as pessoas com deficiência possam, todos, viver de forma igualitária e sem preconceitos também é causa mundial. Desde 1992, a Organização das Nações Unidas (ONU) institui o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência no calendário de propósitos de inclusão social. Celebrada anualmente em 3 de dezembro, a data também tem como objetivo chamar a atenção para a inclusão nos mais diversos aspectos da vida social de pessoas que possuem qualquer tipo de deficiência.

Além do caráter de conscientização, o Dia Internacional busca mobilizar esforços de instituições públicas e privadas e de governos, no sentido de elaborar e implementar políticas de acesso a direitos e à participação social das pessoas com deficiência nas comunidades em que vivem.

 

No vermelho, as doenças cardiovasculares

A cor é símbolo, ao longo de todo o mês de setembro, de campanha internacional para conscientização, prevenção e tratamento das doenças cardiovasculares. Iniciativa criada no ano de 2000 pela Federação Mundial do Coração com apoio das Nações Unidas, o Setembro Vermelho chama a atenção da população para as possibilidades de combate às doenças do coração, falando sobre como evitar o seu desenvolvimento, os principais fatores de risco e como mudar hábitos para levar uma vida mais saudável – em pessoas de qualquer sexo ou idade, já que uma vida saudável desde a infância reduz riscos na idade adulta.
Além disso (ou em razão de), Setembro Vermelho também registra o Dia Mundial do Coração no calendário internacional comemorativo da saúde, que é celebrado em 29 de setembro.

 

Setembro também é de cor roxa
O mês também realiza campanhas de orientação e combate à fibrose cística e ao câncer no pâncreas e conscientiza sobre a doença de Alzheimer. Setembro foi escolhido para registrar duas importantes datas da fibrose cística: a passagem do Dia Nacional de Conscientização da doença, em 5 de setembro, e a celebração do Dia Mundial, em 8 de setembro, em referência à publicação ocorrida em 1989, na Revista Science, da descoberta do gene regulador da condutância transmembrana da fibrose cística, o CFTR.

Em meio ao arco-íris formado pelas cores que marcam o calendário da saúde neste mês, o Setembro Roxo está tornando mais conhecida a doença genética crônica que afeta principalmente os pulmões, pâncreas e o sistema digestivo, atingindo cerca de 70 mil pessoas em todo mundo.
O mês nacional de conscientização para o diagnóstico precoce da doença genética grave mais comum da infância, é uma campanha idealizada e realizada anualmente, desde 2017, pelo Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, com o apoio de voluntários, associações de assistência e parceiros de todo o país.

ALZHEIMER E PÂNCREAS – Marcado mundialmente pelo Dia da Conscientização sobre a Doença de Alzheimer, celebrado mundialmente em 21 de setembro, o novo mês do calendário também é de combate e prevenção ao câncer no pâncreas.

Pelo fato de ser de difícil detecção e ter comportamento agressivo, este tipo de câncer apresenta alta taxa de mortalidade, por conta do diagnóstico tardio. No Brasil, é responsável por cerca de 2% de todos os tipos de câncer diagnosticados e por 4% do total de mortes causadas pela doença.
Apesar de Setembro Roxo incluir a campanha nacional de conscientização para seu diagnóstico precoce, o Dia Mundial contra o Câncer de Pâncreas é celebrada  em 15 de novembro.

Fonte: Matéria publicada originalmente no Jornal AML Setembro 2021

Share on whatsapp
Compartilhe