Comissão de Saúde Pública AML soma forças para solução dos desafios da saúde coletiva

A missão do grupo de médicos associados é promover integração, colaboração, participação e auxílio da comunidade médico-científica na área de saúde coletiva em Londrina

A saúde pública de Londrina passa a contar com mais uma força na busca por solução dos desafios do setor no município. A atual gestão da Associação Médica de Londrina criou a Comissão de Saúde Pública, que tem como missão promover integração, colaboração, participação e auxílio da comunidade médico-científica na área de saúde pública do município.

A nova comissão, coordenada pelos associados Dra Claudia Vaz, Dr Toshio Oba e Dr Francisco Lopes, já conta com outros quase dez membros e é aberta a todo associado, e de qualquer especialidade, que queira contribuir com as discussões, projetos e propostas para a área. De importante atuação junto aos poderes públicos municipais, também é apoio aos associados da AML que trabalham ou prestam serviços na rede básica de saúde do município, composta por UBSs, UPAs, hospitais, policlínicas, centros de especialidades e consórcios ligados à Secretaria Municipal e/ou Estadual de Saúde.

Os membros da Comissão de Saúde Pública AML, sob coordenação da Dra Claudia Vaz (alto à esquerda), reúnem-se na primeira terça-feira de cada mês, com agenda das atividades pré-estabelecidas entre eles mesmos ou para atender solicitação da Diretoria ou demais GTs da AML. Na reunião mensal (online) de março, estão na foto Dr. Francisco Lopes (alto à direita), Dr Gilberto Martin (ex-secretário Municipal e de Estado da Saúde) e Dra Sônia Regina Pesarini.

O entendimento da Associação Médica é que, ao participar mais ativamente dos debates da saúde pública, conhecendo a fundo as normativas, legislações e protocolos do serviço público, e portanto do Sistema Único de Saúde (SUS), a comissão pode interagir, emitir pareceres sobre projetos de leis municipais (ou até federal, na esfera e área de competência do CFM, AMB e Federação Nacional dos Médicos) e discutir questões que resultarão em benefício direto no atendimento e na prestação de serviços ao usuário do sistema de saúde e para a comunidade.   “Nossa atuação engloba várias frentes de trabalho. Uma delas é a participação na elaboração de protocolos clínicos para a rede primária, em parceria com universidades, secretarias e reguladores de saúde, comissões de educação continuada, escolas de saúde e auditores”, explica a coordenadora da comissão, Cláudia Vaz.

Outro foco é a promoção e integração de comissões ligadas à saúde pública para discutir fluxos de atendimento na rede pública primária, secundária e terciária. “Queremos estimular a atuação médica no setor público, contribuindo para que ela seja efetiva e realizada em condições adequadas”, pontua ela, destacando que essa comissão da AML pretende colaborar com projetos de governo através de sugestões, apoio técnico, regulamentação, integração com outras comissões e entidades médicas.

EDUCAÇÃO CONTINUADA – A Comissão de Saúde Pública da AML tem, entre as prioridades, a atuação em ações de educação, sejam elas para os próprios médicos da atenção primária, por meio de cursos, formações e atualizações, como para a comunidade, por meio de campanhas informativas e educativas.  Neste contexto, deve apoiar também a Comissão Científica da Associação Médica, com sugestão de temas a serem abordados nas formações continuadas. O apoio é estendido à Comissão de Ética, por meio da promoção de eventos de Educação Médica Continuada, e à Comissão Acadêmica, discutindo ou apoiando ações que contribuam para a formação do futuro profissional.
No âmbito mais técnico, a comissão está apta a emitir pareceres técnicos com dados científicos sobre temas que estejam na lógica de funcionamento da mesma; e identificar questões que serão encaminhadas às outras entidades médicas – CRM, AMP e sindicato dos médicos – sempre que se tratar de assuntos da alçada deles.

AML também esteve presente em audiência pública realizada pela Secretaria Municipal de Saúde, quando da prestação de contas do último trimestre de 2020 da pasta, à Câmara Municipal de Londrina. Participando ativamente, como representante da Comissão de Saúde Pública da AML, estava o associado Dr Francisco Lopes.

Em encontro realizado na sede da Associação Médica no começo de fevereiro, os coordenadores da Comissão de Saúde Pública AML receberam a vereadora Sônia Gimenez para debater a questão do atendimento diferenciado para pacientes que fizeram cirurgia bariátrica. Da esquerda para a direita estão: Dr Toshio Oba, a vereadora Sônia Gimenez, Dra Cláudia Vaz, Dr Francisco Lopes e o chefe de gabinete Esequias.

Fonte: Matéria publicada originalmente no Jornal AML – março 2021

Share on whatsapp
Compartilhe