Programa de telemedicina do Hospital Universitário de Londrina auxilia médicos de outras cidades da região

Distantes, porém alinhados. Usando a tecnologia a favor da saúde pública, médicos de Londrina e de outros 97 municípios que formam a macrorregião Norte do Paraná começam a interagir por meio de plataformas on-line para trocar informações e opiniões sobre a Covid-19, salvaguardando a confidencialidade dos casos.

A ferramenta que funciona na modalidade de teleinterconsulta começou a funcionar em 4 de maio e já tem uma demanda em atendimento, de acordo com o pneumologista Olavo Franco Ferreira Filho, coordenador do NTT/HU (Núcleo de Telemedicina e Telessaúde do Hospital Universitário da Universidade Estadual de Londrina). “Nosso principal objetivo é tentar evitar encaminhamentos desnecessários. Muitos pacientes que estão sendo encaminhados para o HU não têm relação com a doença”, disse.

Médicos de qualquer serviço da rede pública de saúde da macrorregião poderão acionar o programa. O primeiro passo é entrar em contato com as Regionais de Saúde (16ª, 17ª, 18ª, 19ª e 22ª) para terem acesso ao número de whatsapp do NTT/HU.

Com o contato, um link será gerado com horário previamente agendado. A partir daí, será possível dar suporte técnico assistencial visando a qualificação do cuidado aos pacientes e a otimização da triagem dos casos a serem referenciados aos Centros de Regulação de Pacientes Municipal e Estadual.

HU de Londrina vai auxiliar médicos de outras cidades via on-line
Foto: Divisão de Documentação Científica do HU/UEL

“Toda a conversa, seja por vídeo ou áudio, é gravada para fins legais. Funciona como um prontuário”, explicou o médico, citando que a equipe considera o número de atendimentos registrados nos serviços preexistentes. “É uma média de 20 atendimentos por dia. É claro que depende muito da demanda de cada município e do Estado, mas é a nossa expectativa”, afirmou.

Ainda de acordo com Ferreira Filho, havendo dúvidas recorrentes sobre determinada questão a equipe do HU fará vídeos para esclarecimento. “Temos uma plataforma de paciente 360 graus que funciona como um simulado e qualquer médico da macrorregião tem acesso a essa ferramenta para tirar dúvidas”, comentou.

O NTT/HU/UEL existe há muito tempo, mas o coordenador explica que essa é a primeira vez que o serviço é voltado para interação com outros profissionais. Os médicos de plantão no HU se revezarão nos atendimentos on-line de segunda a sexta, das 7h às 18h.

Fonte: Reprodução Jornal Folha de Londrina/ Editoria Cidades – 5 maio 2020, reportagem de Micaela Orikasa

Share on whatsapp
Compartilhe