Robô para testes oftalmológicos em escolas e postos de saúde do PR

Um equipamento desenvolvido pela startup Prevention (Curitiba), capaz de detectar precocemente problemas de visão que podem ser evitados, vai ajudar a oferecer testes oftalmológicos em escolas e unidades de saúde em diferentes regiões do Paraná. Trata-se do Adam Robo, um equipamento portátil, que pode ser levado a regiões mais remotas, e que garantiu à Prevention destaque na Imagine Cup, competição promovida pela Microsoft e considerada a Copa do Mundo da inovação.

O robô é parecido com os equipamentos utilizados para testes oftalmológicos e tem como base a tabela de Snellen, linguagem universal usada pelos médicos oftalmologistas para avaliar a acuidade visual. O diferencial é que os resultados são gerados instantaneamente e digitalizados pelo software do Adam, por meio de um aplicativo para Android, iOS e web. O equipamento também utiliza figuras para fazer os testes em pessoas não alfabetizadas.

Um exemplar do robô foi entregue ao Governo do Estado em 19 de outubro último. O equipamento já tinha sido levado aos Mutirões da Cidadania promovidos pela SESA e prefeitura de Curitiba ao longo do ano passado. A Secretaria da Saúde ficará responsável pela circulação do equipamento pelo Estado, explicou o secretário Antônio Carlos Nardi. “Vamos colocá-lo à disposição de todos os paranaenses. O Adam Robo faz toda a detecção de acuidade visual de crianças, adolescentes e também de adultos e, por isso, vai entrar no escopo dos programas do Governo do Estado que trabalham com essa área”, disse.

“Municípios menores muitas vezes não têm acesso a oftalmologistas ou a campanhas de prevenção. Nosso desejo é plantar essa semente, entregando um equipamento ao Governo do Estado para que possa ser levado a outras cidades. Queremos que ele chegue ao Estado inteiro e, consequentemente, a todo o Brasil”, ressaltou Juliano Santos, criador do Adam Robo e fundador da Prevention.

SOLUÇÃO – Juliano Santos, que tem formação como técnico óptico, disse que a cada cinco segundos uma pessoa fica cega no mundo – no caso de crianças, é uma por minuto – sendo que 80% desses casos poderiam ser evitados com diagnósticos precoces. “Foram esses dados que nos motivaram a criar uma solução para os problemas básicos de saúde visual. O Adam detecta os problemas visuais de forma simples e rápida. Em cinco minutos ele descobre problemas como miopia, hipermetropia, astigmatismo e até mesmo as cores do daltonismo”, explicou.

O projeto começou a ser desenvolvido em 2016. A startup ficou inicialmente instalada no Worktiba, coworking da prefeitura de Curitiba, localizado no Parque Barigui, e agora está incubada na Federação das Indústrias do Paraná (Fiep). O aparelho está sendo melhorado para diagnosticar e acompanhar o desenvolvimento de doenças visuais como a catarata e o pterígeo, que é o crescimento do tecido da córnea.

A invenção foi vencedora da etapa latino-americana da Imagine Cup e chegou à etapa final da competição. No evento mundial, realizado em junho deste ano em Seattle, nos Estados Unidos. “Como campeões da etapa da América Latina, representamos o Brasil e o Paraná na etapa mundial e ficamos entre os 15 melhores projetos mundiais nessa competição, que tinha equipes de todo o mundo”, contou Santos.

Fonte: Agência Estadual de Notícias-PR

Share on whatsapp
Compartilhe